O Brasil deverá ter o segundo maior incremento real de salários em 2018 nas Américas, segundo a consultoria ECA International.Um dos principais motivos apontados é a baixa inflação, estimada em 4%. A projeção é de um reajuste real de 3% no país, acima da média do continente, de 1,6%.

Na região, o aumento brasileiro só é inferior ao da Argentina, que lidera a lista dos 71 países analisados, com uma alta prevista de 7,2%.

Argentina: 7,2
Índia: 4,9
Rússia: 3,1
Brasil: 3,0
EUA: 0,9
México: 0,8
Nigéria: -4,80
Egito: -11,20

Fonte;Força sindical